16 de setembro de 2009

Preconceito em Caras e Bocas


Sou noveleira, apesar de não ser daquelas que largam tudo pra ver novela... muito pelo contrário... normalmente estou fazendo muitas outras coisas enquanto assisto, como por exemplo, postar aqui...
A muito tempo não vejo uma novela tão preconceituosa quanto Caras e Bocas de Walcyr Carrasco, fora os preconceitos mais comuns mostrados, como os de cor, idade e religião, existem também outros, como tipo físico e estereótipos regionais.
A personagem Ísis só aparece na novela pra ser chamada de gorda... Parece que a vida dela se resume à sua gordura... e sempre é frisado que ela nunca vai arranjar namorado por que é gorda!! Com certeza no fim da novela vai aparecer algum ‘herói’ que vai gostar dela ‘pelo que ela é por dentro...’, eles esquecem que existem gostos para todos os tipos físicos.
Outro estereótipo é o do baiano, o personagem Adenor sempre é mostrado como preguiçoso, abusado, espaçoso e folgado, a ‘irmã’ dele é uma baiana espevitada e mal educada... até o único baiano que parece ser gente boa na novela que é o Fabiano é mostrado como um imbecil que fica o tempo todo tentando pegar a mulher no flagra.
Enfim, na minha opinião, o Sr. Carrasco precisa rever urgentemente os seus conceitos e tentar ser menos preconceituoso, ou no mínimo, mais cauteloso ao abordar os seus temas...

7 comentários:

  1. eu não asssito novelas,mas acho que o autor não teve más intenções

    ResponderExcluir
  2. Não concordo com o termo preconceito usado nesse texto. Não assisto à novela, entretanto, pelo que pude ler, o que acontece com os personagens é um exagero de estereotipação muito comum com a finalidade de gerar o riso fácil. Como ,geralmente, uma novela das 19h contém mais humor do que trama, estereótipo forçados e extremizados são muito comuns - bem como a forma errada de exagerar nesta estereotipação.
    Com finalidade de humor ou não, estes personagens extremizados podem - o que, de fato, aconteceu no seu caso - gerar o efeito contrário ao pretendido - que é a revolta. De qualquer maneira, sua concepção não é gerar o preconceito, mas sim exibir um exagero em algum estereótipo, o que nem sempre pode dar certo(entenda como "gerar comicidade") para a trama ou para o público.

    ResponderExcluir
  3. Para mim, ver TV é algo só para rir aqui no Brasil.
    Não gosto de novelas.
    Até os programas peseudo-intelectuais da TV Brasileira não são interessantes.
    A TV Brasileira não presta, na verdade a TV não preste.

    www.renansparrow.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. É verdade, infelizmente o mais fácil é utilizar o humor ridicularizando os outros... acho que falta inteligência pra fazer um humor sem precisar expor os pontos fracos das pessoas.
    Parabéns pelo blog

    ResponderExcluir
  5. Eu não acho que o Walcir esteja sendo preconceituoso, pelo contrário, mostrando esses estereótipos ele demonstra para a população o quão ridículo é o preconceito.

    ResponderExcluir
  6. O autor tentou mostrar o que acontece na vida real e muitas vezes nós não percebemos ou fingimos não perceber.
    http://saudeecompanhia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. A vida imita o vídeo ou o vídeo imita a vida?
    Talvez o autor tenha tentado reproduzir o que acontece na vida real, com ou sem exageros.Porém,tem o outro lado da moeda.Há muita gente,que se deixa influenciar pelo que vê na tv,concorda?

    ResponderExcluir